“Atenção ao ciclo da água” artigo do diretor Técnico do CTA, Alessandro Trazzi, publicado na coluna Opinião do jornal A Gazeta

A água é um elemento essencial à vida, sendo indispensável nas dimensões ambiental, econômica e social. A escassez desse líquido valioso, contudo, afeta mais de 40% da população mundial. De acordo com dados da Organização das Nações Unidas, esse índice pode aumentar ainda mais como resultado da gestão inadequada dos recursos naturais e das alterações no clima. Tendo em vista a ligação inextricável, a organização internacional trouxe como tema para o Dia Mundial da Água de 2020 “Água e mudanças climáticas”.

Segundo a Agência Nacional de Águas, o Brasil possui cerca de 12% das reservas mundiais de água doce. Essa disponibilidade hídrica, entretanto, depende em grande parte do clima. Diante desse fato, as mudanças climáticas no planeta representam um sério risco para os recursos hídricos no território brasileiro, já que o ciclo da água está sendo impactado pelo aumento médio da temperatura na Terra.

A alteração nos padrões do regime de chuvas – quanto à intensidade, à duração e à frequência –, contribui para a ocorrência de eventos hidrológicos extremos, com a ocorrência de inundações ou de longos períodos de estiagem, cenário que exigirá um novo planejamento para os próximos anos.

A expectativa da ANA é que a demanda por uso de água no Brasil tenha um aumento estimado de 80% no total retirado nas últimas duas décadas. Esse dado tende a subir até o ano de 2030, em 24%, conforme estudo da Agência reguladora.

O histórico da evolução dos usos da água está diretamente relacionado ao desenvolvimento econômico e ao processo de urbanização do país. Tal conjuntura sinaliza para a necessidade da aplicação de diretrizes voltadas à sustentabilidade nos espaços urbano e rural, aliadas a políticas públicas, e por critérios racionais, como reutilização do recurso hídrico, uso da água de chuva e descarte adequado das águas residuais; somados à preservação de florestas, nascentes, bacias e matas ciliares.

Uma tarefa que exigirá a adoção de práticas sustentáveis e o compromisso coletivo de todos os membros da sociedade na redução dos impactos que já comprometem o sistema climático do planeta; fundamentada numa nova ética, com vistas a uma consciência não apenas local, mas global.